“Estar vivo é um milagre”, diz haitiano que sobreviveu a terremoto