Saiba como o ChatGPT está ajudando no trabalho dos corretores de imóveis

Capaz de gerar respostas elaboradas a partir do pedido de um usuário, o ChatGPT tem revolucionado o mercado imobiliário. Saiba mais

O ChatGPT é uma ferramenta tecnológica capaz de gerar respostas elaboradas a partir da solicitação de um usuário. Embora esteja motivando debates sobre as implicações éticas de seu uso, concomitantemente, a ferramenta tem sido de grande serventia para os corretores de imóveis.

É o que revela uma reportagem da CNN. A inteligência artificial, treinada a partir de um grande volume de dados online, é capaz de criar diferentes tipos de textos. O chatbot já fez ensaios, histórias, letras de músicas e resumos de pesquisa capazes de enganar alguns acadêmicos.

Como o ChatGPT tem sido usado pelos corretores de imóveis?

Profissionais da área ouvidos pelo veículo descrevem que a tecnologia transformou suas rotinas de trabalho. Nesse sentido, o ChatGPT tem sido usado para redigir listas, postagens em redes sociais, documentos e e-mails, além de responder perguntas frequentes dos clientes.

Siga o InfoMais no Google News e acompanhe nossos destaques

Um desses corretores é JJ Johannes. Ele conta que usa o chatbot desde seu lançamento público, no final de novembro, e tem economizado muito tempo graças a ele. Porém, o agente – formado na área de tecnologia – acrescenta que realizou alguns ajustes para ajustá-lo às suas demandas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

ChatGPT é grátis, mas agora existe uma versão paga também

O chatbot segue gratuito, mas a empresa OpenAI, responsável por ele, lançou nesta quarta-feira (1º) uma versão paga por US$ 20 por mês – cerca de R$ 101. Ouvidos pela CNN antes do anúncio, Asion disse que não veria problema em pagar pelo serviço. Outro corretor que concordou com ele foi Frank Trelles.

“Posso perguntar ao ChatGPT quanto seria o pagamento de uma hipoteca em uma compra de US$ 14 milhões a uma taxa de juros de 7,2% amortizada em 25 anos com dois pontos de origem no fechamento e, em dois segundos, ele me fornece essa informação”, explica o motivo de estar disposto a gastar.

Contudo, a reportagem pondera que, em termos de cálculo, a ferramenta desempenha melhor com aproximações do que com números exatos. Nesse sentido, o executivo imobiliário comercial e professor adjunto do Fordham Real Estate Institute, Serge Reda, sugere critério.

Há limitações significativas, pondera especialista

O estudioso pondera que usar o software nem sempre é a melhor opção para os agentes imobiliários. Ele avalia que capitar potenciais novos clientes, por exemplo, exige uma abordagem personalizada que a inteligência artificial não é capaz de entregar. “Definitivamente há limitações significativas”, conclui.

Imagem: Ascannio / Shutterstock

Receba atualizações em nosso grupo de WhatsApp
VEJA TAMBÉM