Concurso ICMBIO 2021: EDITAL é autorizado com 171 vagas em dois cargos

O Instituto de Conservação do Meio Ambiente (ICMBio) teve o seu edital de concurso público 2021/2022 autorizado na manhã desta segunda-feira, 06 de setembro. De acordo com o documento, serão preenchidas 171 vagas em cargos dos níveis médio e superior, nos cargos de técnico e analista ambiental, respectivamente.

De acordo com a portaria autorizativa, os aprovados serão contratados sob regime estatutário, que assegura a estabilidade empregatícia. Os ganhos podem chegar a R$9.389,84.

Você Pode Gostar Também:

Agora, com a publicação do documento de autorização, uma comissão responsável pelo concurso será formada para condução de cada etapa até a homologação. O edital deverá ser publicado em até seis meses, ou seja, até 6 de março de 2022. As provas devem acontecer em até quatro meses após a publicação do edital, podendo ser encurtado para dois meses, conforme vem acontecendo nos últimos editais federais (PRF e PF).

CARGO  ESCOLARIDADE   REMUNERAÇÃO   VAGAS 
Técnico ambiental Nível médio  R$4.408,94 110
Analista ambiental Nível superior  R$9.389,84 61

 

Mourão já havia confirmado os editais

Os editais de concursos públicos do Ibama e ICMBio já estavam confirmados pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão. O anúncio foi feito no fim de agosto, durante a 6ª reunião do Conselho Nacional da Amazônia Legal.

De acordo com Mourão, foram quase 740 vagas para o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

“Agora mesmo, está sendo aberto um concurso para o Ibama e o ICMBio, que vai contratar mais 740 profissionais. Então isso já é uma medida clara do governo do presidente Bolsonaro no sentido de aumentar a força de trabalho e a capacidade operacional das agências”, disse Mourão.

Último concurso Icmbio

O último Concurso ICMBIO foi realizado em 2014. Na oportunidade, o certame contou com 54.172 inscritos entre analista e técnico. Das 271 vagas, 20 foram para analista administrativo (todas para a sede, em Brasília) e 30 para analista ambiental (Mato Grosso e Pará). Já para os candidatos de nível médio, foram 168 vagas para técnico administrativo e 53 de técnico ambiental, com oportunidades para Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Paraná, Pernambuco e Mato Grosso, entre outros estados. Veja:

  • Analista Administrativo: 20 vagas no DF
  • Analista Ambiental: 30 vagas no MT e PA
  • Técnico Administrativo: 168 vagas no AM, BA, DF, GO, MT, PA, PB, PI, PR, RJ, SC E SP
  • Técnico Ambiental: 53 vagas no AM, DF, ES, GO, MA, PA, PB, PE, PR, SP.

Veja o que foi cobrado na prova objetiva:

Conhecimentos Básicos

Total de 50 questões de Língua Portuguesa, Noções de Informática, Atualidades, Legislação e Ética no Serviço Público.

Conhecimentos Específicos

Total de 70 questões de temas relativos a cada cargo:

  • Técnico Administrativo:
    • Noções de Administração
  • Analista Administrativo:
    • Administração geral
    • Administração Financeira e Orçamentária e Orçamento Público
    • Administração de Recursos Materiais
  • Analista Ambiental:
    • Ecologia, conservação e manejo da biodiversidade
    • Biodiversidade, zoologia, botânica e história natural
    • Recursos florestais
    • Proteção, controle e monitoramento ambiental
    • Planejamento e gestão de UC
    • Aspectos históricos e sociais da ocupação humana na região do complexo Tapajós
    • Povos e comunidades tradicionais e a conservação da Biodiversidade.

Sobre

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é uma autarquia em regime especial. Criado dia 28 de agosto de 2007, pela Lei 11.516, o ICMBio é vinculado ao Ministério do Meio Ambiente e integra o Sistema Nacional do Meio Ambiente (Sisnama).

Cabe ao Instituto executar as ações do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, podendo propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as UCs instituídas pela União.

Cabe a ele ainda fomentar e executar programas de pesquisa, proteção, preservação e conservação da biodiversidade e exercer o poder de polícia ambiental para a proteção das Unidades de Conservação federais.

Leia Também:

Está “bombando” na Internet:

LEIA MATÉRIA ORIGINAL

Leia Mais

Relacionadas