Nova variante do coronavírus domina preocupação de empresários: Saiba o motivo

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O avanço da nova cepa do coronavírus a essa altura da pandemia foi um balde de água fria para o empresariado. O primeiro olhar sobre o assunto ainda é feito com cautela, insegurança e uma ponta de esperança de que se trate apenas de alarme falso ou seja contido em breve.

“É preocupante, mas não temos dúvidas de que a ciência vai trazer a solução para essa nova variante”, afirma Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma, que representa as grandes farmacêuticas.

Paulo Solmucci, presidente da Abrasel (associação de restaurantes), acha que é alarmismo. “A menos que se comprove a ineficácia das vacinas para essa variante, não vemos razão para o pânico”, diz.

Na avaliação de José Carlos Martins, da CBIC (setor da construção), é preciso entender o real risco da variante para saber como lidar.

Para Ricardo Roriz, da Abiplast, o avanço da nova variante coloca em xeque a recuperação. “Enquanto isso, o mundo vive sem previsão de retomar a normalidade da sensação de segurança e bem-estar das pessoas e da possibilidade da volta consistente da economia”, diz.

A preocupação da hotelaria é com a aproximação das festas de final de ano e o Carnaval, segundo Manoel Linhares, presidente da Abih (associação da indústria de hotéis). Ele diz que o setor está aguardando a definição dos protocolos dos órgãos para adequar a operação.

“Estamos acompanhando. Somos a favor de que a Saúde decida logo que não deve ter aglomeração, porque a hotelaria não aguenta fechar de novo”, diz.

Leia Mais

Relacionadas