Justiça determina quebra de sigilo fiscal de Ciro Gomes em processo movido por José Serra

Decisão é referente a um processo de danos morais movido pelo senador José Serra em 2022

TOMZÉ FONSECA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOCiro declarou ter um patrimônio de mais de R$ 3 milhões

Em decisão publicada na quinta-feira, 22, a Justiça de São Paulo determinou que a quebra do sigilo do imposto de renda do candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT), referente a um processo de danos morais movido pelo senador José Serra (PSDB), em 2002. A decisão da juíza Mônica Di Stasi, da 3ª vara cível de São Paulo, pede que venha público os ganhos de Ciro nos últimos dois anos ou a escritura de alguma empresa em seu nome. Anteriormente, o pedetista foi condenado a pagar R$ 248 mil de indenização. Contudo, o pagamento ainda não foi realizado. Durante a campanha presidencial, Ciro declarou mais de R$ 3 milhões em bens e gastou cerca de R$ 20 milhões em anúncios e ações para as eleições. Quando o processo foi movido por Serra contra Ciro, os dois concorriam à Presidência. Em entrevista, o pedetista afirmou que “faltava escrúpulo e ética” ao tucano, além de o acusar de subornos para ganhar favores políticos. Isso levou o candidato do PSDB a buscar indenização legal, que segue em trâmite de justiça há mais de 20 anos.



LEIA MATÉRIA ORIGINAL

Leia Mais

Relacionadas