Fausto Junior diz que foi censurado e atacado na CPI da Covid-19: ‘Aziz não deixou eu apresentar meu relatório’

Em entrevista ao Pânico, deputado estadual amazonense afirmou que presidente da comissão no Senado temia resultado de levantamento: ‘Consta que quem comandava esquema de corrupção era ele’

Reprodução/PânicoFausto Junior, deputado estadual de Amazonas pelo MDB, foi o convidado do programa Pânico desta segunda-feira, 18

Nesta segunda-feira, 18, o programa Pânico recebeu o deputado estadual Fausto Junior (MDB-AM). Em entrevista, o parlamentar falou de seu depoimento na CPI da Covid-19, realizado no dia 30 de junho, para falar sobre a crise sanitária no Amazonas. “Não me deixaram falar do meu relatório, eu e minha família fomos atacados. Existe um motivo óbvio, meu relatório consta que é impossível falar de desvio da Saúde sem falar da operação da polícia federal, que teve como alvo o senador Omar Aziz, antes da pandemia. No relatório consta que quem comandava o esquema de corrupção era ele. As CPIs, eu enxergo como os representantes do povo expondo para a população  aquilo que ela gostaria de investigar e perguntar, mas o que está acontecendo é um interesse político por cima disso”, disse.

Para Fausto, a escassez de oxigênios em Manaus, em janeiro deste ano, ocorreu pela dificuldade de acesso terrestre da cidade a outros locais do país. “Hoje a situação da pandemia no Amazonas está superada, contornada. Temos a volta do comércio em geral, graças à vacinação. Mas naquele momento, o que aconteceu foi que existiu uma mudança rápida por conta da variante. Tinha uma taxa de ocupação de 60% ou 70%, foi um momento difícil, cresceu em 15 dias. Houve uma dificuldade, temos o problema de não ligar a outros Estados do Brasil, só avião trafega, e o oxigênio precisa voar baixo, ou através de barco, que demora 15 dias. Foi por conta dessa dificuldade de logística.”

O deputado ainda completou, dizendo que esperava dos senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito movimentos para se prevenir e estudar a variante delta e possíveis futuras pandemias. “A CPI vai acabar e até agora não falaram nada sobre a variante Delta. É um interesse político, porque quando se tem a plaquinha 600 mil mortos, não foi o presidente que matou, foi o vírus. É lógico que tem que cobrar políticas públicas, mas qual foi o estudo, o movimento feito pela CPI para se prevenir de uma pandemia que ninguém esperava? O que podemos fazer para se precaver de uma futura nova pandemia?”, indagou.

Confira na íntegra a entrevista com Fausto Junior:



LEIA MATÉRIA ORIGINAL

Leia Mais

Relacionadas